Gostar do que não se têm



Conhecer pessoas novas me transmite uma sensação de recebimento de novas luzes, novas energias. Claro que depende muito se as energias recebidas poderão se dar bem com as transmitidas, pois de certo se tem bom relacionamento. No caso de incompatibilidade, nada progredirá.

Não digo apenas de recebimento de energias boas com relação ao desejo carnal (que muitas vezes é o gritante), mas também digo a respeito das energias ligadas a cumplicidade de uma estimada amizade, de um bom relacionamento.

Obvio que ao se deparar com novas amizades, recebendo as ‘positive vibrations’, cria-se internamente duvidas quanto à intensidade e a durabilidade. Acho que posso colocar neste caso como “medo”. Há muitas pessoas temperamentais neste mundo. E há muito tempo a se perder com pessoas incompatíveis. É terrível ver as coisas deste modo, mas como digo “a verdade dói, mas que seja dita o quanto antes”.

Quero dizer que o deixar rolar é essencial. Apressar as coisas nos permite acelerar o percurso natural da vida, dos relacionamentos, dos momentos. Pode ser que o positivo chegue mais cedo do que o necessário e perca a magia rápido demais (como aquela historia do que o perfeito não tem graça). Pode ser que o negativo nos derrube mais rápido do que poderíamos prever e nos preparar para a queda. Deixa rolar.

Mas escrevo este texto mais como um lembrete à mim mesma. Já não é a primeira vez, nem segunda ou terceira, que me dizem ser uma pessoa extremamente ansiosa e carente. Sei que isto não me faz bem como deveria. Acelerar o percurso, cortar caminhos. Mas é difícil.

Às vezes eu quero muito que as coisas aconteçam o quanto antes para que eu possa desfrutar dos bons momentos. Como aguardar ansiosamente pela páscoa para receber muitos ovos de chocolates, mas verificar no calendário ainda ser inicio de janeiro. Ou então iniciar um regime em uma segunda feira de manhã e quando chega à noite, subir numa balança para verificar quantos quilos já eliminei. Absurdo, mas incontrolável. Deixa rolar, repito internamente.

A conclusão que tiro ao analisar as circunstancias é simples: reafirmo e verifico sobre os resultados negativos que já ganhei (ou os bons que deixei de ganhar), preciso mudar. Além de precisar, eu quero mudar. Pois assim, acho que este seria o melhor jeito de manter contato com alguém por longa data. Melhor jeito de receber ‘positive vibrations’ sempre. Ou o melhor jeito de fazer aquele cara sentir falta do que não tem: Minha atenção.

2 comentários:

Carla Mariano disse...

Caraca.. vc escreve muito bem maninha... Pode escrever como minha colaboradora, trazendo loucuras pro Mãos Lindas tá?

Bj Bj, te amo!

Allison Kayo disse...

Acho que todos temos uma trava quando pensamos em pisar loucamente no acelerador e viver tudo intensamente, natural, efeito de uma consequencia ja vivida de quando você acelerou...
Mas, o "tempo" me ensinou uma coisa, todas as vezes que burlamos a regra do naturalmente, na verdade nos auto sabotamos, pq pulamos todas as etapas do natural e imprevisível e fechamos as portas para portas que nem foram abertas, apenas estavam tocando a campainha ainda...
Pense nisso!

Beijos
Allison

P.s Belo texto...

Postar um comentário

Comente com carinho e volte sempre!
Obs: Críticas são bem vindas, mas que sejam construtivas!